O Diabo Está Nos Detalhes - O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

O Diabo Está Nos Detalhes - O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Nunca acenda um cigarro no ponto de ônibus,  todos sabem que o diabo mora nos detalhes. Todos sabem, mas ninguém se importa, por exemplo eu comprei um computador barato e instalei o Linux, mas não me atentei ao detalhe de que não haviam drivers pra rodar no notebook. Resultado: Entrada para cartão SD, USB 3.0 e HDMI não funcionam. Mas o Linux tá rodando que é uma beleza!
Viva ao software livre!
E sabe quem entende de detalhes? É Amélie Poulain, o maior marco recente na cinematografia francesa. No filme Amélie Poulain é solitária desde criança, porém em certo dia em mil novecentos e noventa e sete ela tem seu destino alterado por um acontecimento marcante, não pela morte da Princesa Daiana, mas por encontrar no banheiro do seu apartamento uma caixinha com pertences de um antigo morador do apartamento. A partir daí, Amélie se joga na realização de pequenos atos a fim de ajudar pessoas ao seu redor, e assim, tornando fabuloso o seu destino ela ganha um novo sentido para si.

Talvez você tenha ficado com o ditado “O Diabo mora nos telhes” na cabeça, mas saiba que o ditado vai além do que possa parecer, não é que todo detalhe é algo satânico, por exemplo, um detalhe que com certeza passou despercebido por você é que O Fabuloso Destino de Amélie Poulain é o único filme que subverte o seu gênero, o de comédia romântica, você já viu algum filme tão diferente de seu gênero como este? Eu não sei dizer, talvez Duro de Matar e o gênero “Filme de Natal”, se é que existe esse gênero, e, se é que Duro de Matar é filme de natal, mas isso não vem ao caso, o que vem ao caso é que a direção do longa é de Jean-Pierre Jeunet, o mesmo de Alien: Ressurreição como todos gostam de lembrar, o roteiro é de Guillaume Lauran e não me lembro de ver algo dele além de Amélie, a película conta com boas atuações de Audrey Tautou, Mathieu Kassovitz, Lorella Cravotta e Jamel Debbouze que realmente não tem um braço!

Cartaz por Chuck
Dentro da narrativa Amélie prefere imaginar uma relação com alguém ausente ao criar laços com os que estão presentes, em contra partida, ela tenta arrumar a bagunça da vida dos outros, mas como o diabo mora nos detalhes, e ela? E a bagunça na vida dela? Quem vai pôr em ordem? Há sempre um vazio rondando Amélie e o filme usa isso para transferir uma inversão de ideias ao publico, Amélie fica indiferente durante a relação sexual, mas cultiva prazer ao quebrar a cobertura do crème brulée, e isso não é só em relação a protagonista, mas em todos os personagens e suas peculiaridades a solidão é mostrada de diversas formas, como na doença imaginária de Georgette, na obsessão de Joseph por Gina e no fracasso do escritor Hipólito, na devoção do pai de Amélie por sua falecida esposa, na descrença do amor de Madeleine, e, entre tantas outras formas, a película vai explorando signos de isolamento para envolver as particularidades de cada personagem como a figura do gato e lugares que deviam estar cheios, mostrados vazios. E entre tanta subjetividade o que a narrativa deixa clara é que é preciso superar os medos e arriscar-se, como diz o Homem de Vidro, (Não, não é o Vidro que você está pensando):
— Você não tem ossos de vidro. Pode suportar os baques da vida. Se deixar passar essa chance, com o tempo seu coração ficará tão seco e quebradiço quanto meu esqueleto. Então, vá em frente.

Muito se fala sobre o Fabuloso Destino de Amélie Poulain e seu apreço técnico, e tudo isso é tudo isso mesmo, tudo em Amélie é digno de ser, e já foi, copiado, contudo nada se compara, pois o filme vai além, por mais que se venda como comedia romântica o longa metragem se coloca aparentemente de forma simples e repleto de trivialidades, mas tem o peso de uma forte simbologia, cores dialogando com a trama do filme, enquanto referências ao comportamento humano de se isolar são ironizadas na tela com poesia, questões filosóficas e psicológicas. Esse filme sobre solidão mostra como pequenas coisas podem ressignificar nosso mundo, afinal o diabo mora nos detalhes, e esse ditado, que repeti durante todo texto, alerta para isso, detalhes, ou pequenos erros que podem ser cometidos nos pequenos detalhes, seja acendo um cigarro no ponto de ônibus ou comprando o notebook por ser barato, atrasando assim as publicações em seu site. O longa Amélie Poulain tem em muitos aspectos mensagens que realmente podem mudar a vida de alguém, ele projeta nossa atenção para as pequenas coisas da vida e como isso traz recompensas significativas, por exemplo um simples filme francês pode ser uma obra de discussão sobre gênero e questões da mulher frente ao mundo contemporâneo, ou, como por outro exemplo acender um cigarro enquanto se espera o ônibus, pois eles sempre chegam após o primeiro trago.
*