Uma Enxurrada de Endorfina – A Trilogia d’Os Super Patos



Uma Enxurrada de Endorfina – A Trilogia d’Os Super Patos
Há momentos em que não estamos bem, a vida vem e te da um tapa na cara! E sempre nesses momentos é que algo piora. MALDITA LEI DE MURPHY!
Nos primeiros meses do ano eu tive alguns infortúnios que quase me desanimaram da vida, logo depois começamos o isolamento social, o que de fato se faz necessário, mas isso só agravou o meu mal-estar. Observando o mundo através de telas parecia que isso era só comigo, na TV os noticiários são caóticos por natureza e dão voz ao energúmeno presidencial, invés de calá-lo, no celular às mensagens eram mistas falando sobre o momento ou ignorando-o e no computador às redes pareciam apenas fazer piadas com momento. E para me distanciar disso fiquei de bobeira num determinado serviço de streaming, olhando filme por filme de seu catálogo, onde esbarrei com Nós Somos Os Campeões e uma enxurrada de endorfina foi liberada no meu cérebro, a nostalgia tomou conta de mim e a vida adulta pareceu distante e por um momento eu me senti como quando era um adolescente sem preocupações, deitado no sofá e coberto com uma manta vermelha assistindo ao Cinema em Casa após um dia exaustivo tentando aprender a andar de patins.
Foi magico!
Foi reconfortante!
The Mighty Ducks recebeu o titulo no Brasil de Nós Somos Os Campeões, sua sequencia D2-THE MIGTHY DUCKS se inicia com o locutor dizendo na dublagem “D2 - OS SUPER PATOS - NÓS SOMOS OS CAMPOES 2” e na terceira sequencia o filme foi intitulado Nós Somos Os  Campeões 3, mas não importa como a distribuidora intitule a película, vou tratar a Nós Somos Os Campeões por Os Super Patos 1, 2 e 3, pois desde quando o vi da primeira vez até agora seja em conversas na escola na juventude ou em conversas no bar na vida adulta todos chamam este filme e suas sequencias de OS SUPER PATOS!

Não importa se por uma Pandemia ou outra coisa, temos sempre aquele momento em que não estamos bem por conta da realidade implacável marcada por incertezas e preocupações do nosso futuro e daqueles que amamos; Há também a vida acontecendo com o natural distanciamento de amigos, familiares e assim por diante. O dia a dia acontecendo, sempre vindo e nos jogando pra baixo, mas o cinema sempre possui uma importância essencial para ser uma forma de consolo e amenizar a nossa realidade, estes filmes chamamos de comfort movies, e a trilogia d'Os Super Patos é esse tipo de filme para mim, uma comédia dramática esportiva (não necessariamente nessa ordem), onde, apesar de manter a identidade, cada filme da franquia teve um diretor diferente o primeiro foi dirigido por Stephen Herek de Bill & Ted, o segundo dirigido por Sam Weisman de George, o Rei da Floresta e o terceiro por Robert Lieberman, que não fez nenhum outro filme bom, mas dirigiu algumas coisas em séries legais como Arquivo X e The Expanse, respectivamente os filmes foram lançados em noventa e dois, noventa e quatro e noventa e seis. Apesar da recorrente troca de diretores os filmes mantêm sua estética e a qualidade nos três, talvez por ser um filme de produtora, Os Super Patos foi distribuído pela Walt Disney Pictures que dispensa apresentação, e a produção é de Avnet–Kerner Productions onde dentre poucos sucessos produziu também Tomates Verdes Fritos.

Arte por Alex Ribeiro e Chuck
Os “comfort movies” são “filmes reconfortantes” em tradução literal, eles sempre acabam sendo uma boa saída para se divertir, são aqueles filmes que mesmo vendo várias vezes nós não nos cansamos de assistir, pois nos sentimos melhor, com certeza você tem vários desses na sua lista e se já não está, deve colocar a Trilogia d’Os Super Patos, Agora!
Dentro da franquia temos ótimas atuações desde o elenco mirim até o elenco adulto, a direção dos três filmes são de ótima qualidade e mesmo sendo três pessoas diferentes eles conseguem mudar e manter a essência dos personagens e a estética dos filmes, até mesmo o último filme da trilogia dos Patos que é visto com mal olhos por alguma razão por alguns fãs, talvez por não ser novidade ou por Emilio Estevez mal aparecer no filme, Emilio esteve em alguns dos meus “comfort movies” favoritos como Trabalho Sujo, Clube dos Cinco e Missão Impossível, aliás no elenco da trilogia temos Shaun Weiss de Turma da Pesada, Joshua Jackson que é mais conhecido por Fringe e Dawson's Creek, também há Marguerite Moreau de A Rainha dos Condenados, Kenan Thompson também de Turma da Pesada e Colombe Jacobsen-Derstine de Homens de Preto 2.

Apesar do Hóquei não ser um esporte tipicamente tropical, o que dificulta sua prática no Brasil, o filme conquista por sua trama, em Os Super Patos, após ser preso por dirigir alcoolizado, um renomado advogado é condenado a prestar serviços comunitários e aceita treinar um time infantil de Hóquei, e, às duas sequências deste filme seguem a história a partir deste mote. A trama sempre gira em torno do hóquei, mas o principal é o drama vivido pelos personagens. Temos na narrativa elementos que chamam a atenção de toda a família, como crianças crescendo e tendo que resolver seus conflitos e o personagem de Estevez aprendendo com crianças coisas que ele havia deixado de lado na vida adulta, elementos como competitividade, trabalho em equipe, humildade, confiança e até mesmo o amor são coisas que os personagens vão lidando nos três filmes e os três filmes foram escritos por Steven Brill que também atuou nos três longas, no primeiro ele interpreta o advogado rival de Gordon Bombay, no segundo, um convidado da festa que conversa com Gordon sobre Pat Riley e no terceiro filme interpreta um atendente de loja. Brill tem seu nome associado a outros comfort movies como Um Diabo Diferente (citado aqui), Turma da Pesada e A Herança de Mister Deeds (citado aqui). Se liga na filmografia desse cara é bem divertida!

Bom, e pra finalizar, eu sempre fui uma pessoa controlada, metódica. Tudo que eu faço, mesmo que dê errado, foi pensado e calculado, eu gosto de prever às coisas e ter tudo sobre controle. Como a grande maioria das pessoas meu ano estava programado: trabalho, site e estudos, então começou, o computador quebrou, mudança de emprego e como asmático, a saúde foi pro brejo. Logo em seguida atraso de pagamento, suspensão de contrato e o animo abalou.
Já deve imaginar como eu fiquei, né?
Por um triz meu trenzinho não descarrilhou!
Eu como ansioso vivo no futuro pensando em solucionar problemas que nem existem e podem nem existir, mas o intuito aqui, não é falar da minha vida pessoal e sim de CINEMA, o ponto em que eu queria chegar é que bastou uma pessoa do meu lado pra me dar equilíbrio, aconchego e assistir um comfort movie pra me animar e isso é o que gostaria de compartilhar: Os Super Patos se sustenta por ser um filme carismático e se me permite a breguice, capaz de aquecer um coração gelado, como o sol rompendo às nuvens depois de um dia frio de chuva! A franquia falou comigo na infância e falou comigo agora enquanto adulto e sem duvida são filmes para serem vistos e revistos sempre que possível. E tenho certeza que se ainda não falou com você, vai falar!
Os Super Patos são o tipo de filme que faz bem, uma enxurrada de endorfina!
*
P.S: A franquia d'Os Super Patos não foi planejada para ser um fenômeno, foi apenas só mais um filme da Disney, mas o público foi aos cinemas para assistir, e ao longo dos anos a franquia se transformou num clássico cult, de onde surgiu um programa de televisão, lançado no mesmo ano do terceiro filme. A série animada se chama Super Patos, no original Mighty Ducks, sem o “The” e os personagens são patos falantes de outra dimensão do planeta Puckworldonde o hóquei é um estilo de vida e não um esporte. Aliás, eles também lutam contra reptilianos que usam alta tecnologia, é, a série não tem nada a ver com o enredo dos filmes, mas é muito divertida. Em terra tupiniquins a série foi ao ar no Disney C.R.U.J, uma variação brasileira do Disney Club exibido no resto do mundo. Super Patos tem uma temporada de vinte e seis episódios.

*