Escolha Sua Verdade e a Passe a Diante - Borat 1, 2 e também a série (as duas)

Borat/20th Century Studios/Divulgação

Escolha Sua Verdade e a Passe a Diante - Borat 1, 2 e também a série (as duas)

“O fim está próximo”, um homem com um livro na mão gritava na praça por esses dias, o que me fez pensar, “de onde ele tirou essa notícia?”. Alguma vez você já se perguntou se alguma notícia era real ou não? Já duvidou da procedência? 
            O celular vibra, sobe a notificação e você lê:
            — O presidente Bolsonaro evita a Terceira Guerra Mundial.
          Pra compartilhar esse tipo de informação a pessoa tem que ser ingênua ou mau-caráter, pois numa pesquisa rápida encontramos a seguinte matéria:
Pois bem, no Brasil hoje há um esquema de notícias falsas que nos fazem duvidar até mesmo da nossa própria sombra e isso tem raízes num plano de governo que visa o desmantelamento do Estado para lucros de um grupo, cujo o representante é o próprio "presidente" do Brasil, e afirmo isso porque em 1.205 dias como presidente, Bolsonaro deu 5.302 declarações falsas ou distorcidas e desde o início do atual governo (2018), vemos o empenho de seu representante em ser o pior governante que o Brasil já teve, além de pior presidente do mundo durante o combate a covid-19. Destas mentiras, até o momento, a mais repetida foi feita 210 vezes, a seguinte:

“E no mais, também é obrigação um governo que não roube, um governo que não seja corrupto. Estamos deixando pra trás este momento triste da nossa história”, Bolsonaro, Jair.

A Fake News começa no Planalto com o presidente sugerindo que não há corrupção em sua gestão, o que é falso, porque integrantes e ex-integrantes de seu governo são alvos de investigações e denúncias de casos de corrupção e outros crimes ligados à administração pública.

Traçando uma breve linha do tempo nós podemos mapear estes casos: Em junho de 2022, a Polícia Federal prendeu preventivamente o ex-ministro Milton Ribeiro, por suposto envolvimento em um esquema de liberação de verbas do Ministério da Educação (MEC), além disso, o relatório da CPI da Covid-19 no Senado pediu o indiciamento de Bolsonaro e seis ministros e ex-ministros por prevaricação, emprego irregular de verbas públicas, falsificação de documento particular, charlatanismo, crime contra a humanidade, crime de responsabilidade e epidemia com resultado de morte, outros agentes do governo também foram indiciados por envolvimento em um suposto esquema para a compra da vacina indiana Covaxin.

Por fim, atuais e antigos integrantes do governo são investigados pela Polícia Federal ou pelo Ministério Público por suspeitas de corrupção, como o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP); Ricardo Salles (PL), ex-titular do Meio Ambiente; o deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PL) e Fabio Wajngarten, que chefiou a Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social).
Mas, voltemos as Fake News.
Fake News é um termo em inglês que significa notícias falsas, uma notícia falsa às vezes pode ser um equívoco do jornalismo ou do noticiador, contudo, o termo Fake News foi cunhado para designar quando a imprensa distribui deliberadamente a desinformação, manipulação e boatos via jornal impresso, televisão e rádio, ou ainda mais popular online, com foco nas redes sociais. O objetivo de quem as usa é obter qualquer forma de ganhos, aqui, no caso o ganho é político. Em matéria publicada na Folha de São  Paulo, Patrícia Pasquini notifica que uma pesquisa feita no Avaaz aponta que 98,21% do eleitorado do presidente Bolsonaro foram expostos a notícias falsas e 90% acreditou nelas, isso confirma que o esquema de Fake News pode muito influenciar as eleições de um País. A democracia está se afogando em notícias tóxicas, cuidadosamente colocadas para infectar corações e mentes produzindo, como em filmes de Hollywood, zumbis que atacam no primeiro sinal de atividade. 

Em suma, "Fake News" é informação falsa e/ou imprecisa, ela é usada com o propósito de enganar. Enquanto há equívocos de compartilhamento de notícias falsas, a Fake News é desinformação, compartilhada intencionalmente. Contudo, ela não é disseminada apenas pelos esquemas, pessoas comuns também disseminam desinformação em massa deliberadamente, porém com a convicção no absurdo o engodo se torna “fato”.
Neste ponto, gostaria de apresentar um exemplo de como a Fake News tomam corações e mentes tendo como exemplo o filme Borat: Fita de Cinema Seguinte.

"Use mascara, salve vidas"

No entanto, para seguir com o raciocínio, preciso dar um pouco de contexto, o personagem Borat Margaret Sagdiyev foi criado pelo humorista Sacha Baron Cohen para o programa Da Ali G Show, onde o mesmo interpretava também outros personagens como o rapper Ali G, que dá nome ao programa, e o repórter de moda Brüno. Os três personagens ganharam produções cinematográficas, mas em 2006 é lançado Borat - O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América (Borat 1), o divisor de aguas na carreira de Sacha, um pseudodocumentário, onde apenas duas pessoas estão interpretando um personagem: Sacha Baron Cohen de Sweeney Todd - O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet e Ken Davitian de O Artista, exceto os dois, todas as outras pessoas são reais com opiniões reais. Na pele de Borat, Sacha viaja pelos Estados Unidos em busca de aprender sobre a cultura e com isso ajudar seu glorioso país Cazaquistão, ele sai por ai entrevistando diversas pessoas dos nichos mais altos aos mais baixos da sociedade, o filme propõe expor a face mais absurda da cultura estadunidense, mesmo havendo um certo desconforto para o expectador que não seja "americano". Se não viu veja.
 Dito isso, chegamos a 2020, quando é lançado Borat: Fita de Cinema Seguinte (Borat 2), agora além de Sacha temos Maria Bakalova de A Bolha, que por este papel foi a primeira búlgara indicada ao Globo de Ouro, Oscar e BAFTA, além dos Screen Actors Guild e Critics' Choice, todos na categoria de melhor atriz coadjuvante. Em Borat 2 o segundo melhor repórter do glorioso país Cazaquistão retorna aos Estados Unidos com sua filha de quinze anos para dar um macaco pornográfico de presente para o vice presidente Michael Pence, assim beneficiando a Recém-diminuída Nação do Cazaquistão, o filme revela mais sobre a cultura estadunidense da ótica das notícias disseminadas sobre eleições e a pandemia por Covid-19.
Na fita podemos ver como, através de uma pequena fagulha gerada pelo personagem Borat, os entrevistados do documentário pegam fogo expondo suas opiniões completamente retrógradas geradas a partir de Fake News, Cohen mostra o pior lado do cidadão estadunidense, esboçando de maneira irônica opiniões absurdas, seus entrevistados se sentem confortáveis para defender seus pontos de vista apoiando-se em desinformação e mentiras.

Imagem minimalista da internet





        Dado este contexto, chegamos ao ponto, em Borat 2, temos dois entrevistados Jim Russell e Jerry Holleman, racistas, negacionistas, homofóbicos e republicanos, não necessariamente nessa ordem. Os conservadores, Jim e Jerry soltam afirmações mentirosas atrás de afirmações mentirosas, a fim de sustentarem seus argumentos, as notícias vão desde que a vacina implanta um chip dentro do corpo até Hillary Clinton beber sangue de bebês. As Fake News apresentadas por Russell e Holleman são tão absurdas que geraram uma série curta chamada Lockdown Americano & Desbancando Borat onde os produtores os confrontam com os verdadeiros fatos e uma a uma suas “teses” são destruídas com afirmações de especialistas e, assim entendendo como é impossível um chip passar por uma agulha.






No começo deste artigo, eu disse que pra acreditar ou distribuir Fake News ou é mau-caratismo ou ingenuidade? Aqui, vemos que os dois entrevistados da série mudam suas opiniões a respeito de algumas coisas e de outras não, eles preferem continuar acreditando em seus delírios coletivos que uma comunidade mal caráter concebeu, pois:

“Correto e falso é o que os homens dizem ser, e na linguagem os homens estão de acordo. Não é um acordo sobre as opiniões, mas sobre o modo de vida" Wittgenstein, pág. 241.

           E antes que pensemos que isso seja um caso isolado, não é. O quadrinista André Dahmer já ilustrou isso em um de seus quadrinhos.

Como podemos ver na tira, a verdade perde relevância no discurso e no debate político, substituída por um apelo emocional, os fatos são excluídos da realidade e o que prevalece apenas crenças pessoais. Achismos.

A linguagem é tão antiga quanto a consciência, Marx e Engels dizem n'A Ideologia Alemã que a linguagem é a consciência real, prática, que existe para os outros homens e que, portanto, também existe para mim mesmo; e a linguagem nasce, tal como a consciência, do carecimento, da necessidade de intercâmbio com outras pessoas, e como a história da humanidade é a história da luta de classes, a linguagem, a comunicação é usada para o controle e dominação, por isso Giorgio Agamben em O Que é Filosofia fala que em nossa época há uma busca, com todos os meios, para confundir e falsificar o significado das palavras, e essa é uma luta no campo das ideias.
Vendo Borat 1, Borat 2 e as noticias sobre o Brasil, podemos perceber que o uso das Fake News são estratégicos e pontuais, com o único objetivo de lucrar, como já foi dito. A Fake News é usada para manobrar a massa na direção do que eles querem, aqui eles são a equipe de Bolsonaro. Para entendermos melhor, veja a citação:

Mostram-se no entendimento de que sua linguagem não é um instrumento transparente para o conhecimento do mundo; ela é o agente do pensamento, engendra o próprio pensamento. O sujeito, portanto, não tem acesso ao objeto, ao mundo, a não ser pela linguagem. Suas ideias, seus métodos, sua imaginação são permeados pela linguagem” M. Bakhtin e a “Virada Linguística” na Filosofia, pág. 265

        As Fake News se constituem com signos ideológicos e enunciados construídos para facilitar a sua disseminação. E assim, como a linguagem, é um fenômeno puramente social; Ela é uma escolha, para quem a produz e também para quem as consome, de negar a realidade como forma de escapar de uma verdade inconveniente. Por isso Jim e Jerry em Lockdown Americano & Desbancando Borat aceitam mudar de opinião apenas daquilo que querem.

Como se já não bastasse as guerras mundo afora, ainda temos que lidar com absurdos que são relatados em sites duvidosos, pensar em uma transformação social já não é prioridade. Bem, como eu disse, algumas pessoas caem em Fake News por não saberem como identificá-las, e algumas dicas podem facilmente ajudar qualquer um a identificar notícias falsas. Veja, algumas são mal escritas, apelativas, utilizando signos que tentam atiçar revolta e, claro, serem passadas para frente. Para parecerem verossímeis, Fake News trazem algumas informações verdadeiras e usam dados fora de contexto. Também têm origem duvidosa, são repassadas sem links ou vêm de sites desconhecidos ou se passam por sites famosos. A dica mais importante é esta: verifique sempre.
Faça uma pesquisa na internet, descubra se sites conhecidos também publicaram.
Achismos se tornaram mais importantes do que fatos, onde a população “escolhe” no que quer acreditar, onde as pessoas acreditam que vacinados vão virar jacarés ou que contêm chips nas vacinas, esse é o mundo das notícias falsas, situação velha, mas que ultimamente se tornou muito mais recorrentes, limitando nosso acesso ao mundo. Pois produzir Fake News é limitar a linguagem, e os limites da linguagem, são os limites de nosso mundo. Isto é, quanto mais nos limitamos a nos aprofundar naquilo que envolve a linguagem, acabamos por nos limitar  e ao mundo que nos cerca.
Borat em sua viagem para "américa"


REFERÊNCIAS:

PRADO, Felipe. Apoiadores dizem que Bolsonaro evitou 3ª Guerra Mundial na Ucrânia. Isto é Dinheiro, Acesso em: 03/07/2022
C. MARCHEZAN, Renata. M. Bakhtin e a “Virada Linguística” na Filosofia. Linguagem E Conhecimento - (Bakhtin , Volóchinov , Medviédev).
Conselho Editorial. Leaders risk lives by minimizing the coronavirus. Bolsonaro is the worst. The Washington Post, Washinton, 14 de Abril de 2020. Acesso em: 03/07/2022.
Diaz, Felipe. Bolsonaro, o Kobayashi Maru do Brasil!. Newslleter do Chuck, São Paulo, 22 de Abril de 2022. Acesso em: 03/07/2022.
Todas as Declarações de Bolsonaro. Aos Fatos, Atualizado em 01 de Julho, 2022. Acesso em: 03/07/2022.
 WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações Filosóficas. Trad. João José R. L. de Almeida.
BORAT - O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América. Direção de Larry Charles. Produção de Sacha Baron Cohen, Roteiro: Sacha Baron. Anglo-Americano: 20th Century Fox, 2006. (84 min.), son., color. Legendado. Streaming.
BORAT: Fita de Cinema Seguinte. Diretor Jason Woliner. Produtor: Sacha Baron Coen. Roteiro: Sacha Baron Cohen. EUA: Produtora: Amazon Studios, 2020. Streaming.
LOCKDOWN Americano & Desbancando Borat (Temporada 1). [Seriado]. Direção: Jason Woliner. Produção: Sacha Baron Cohen, Roteiro: Sacha Baron. EUA: Produtora Amazon Studios, 2021. 1 Streaming.
PASQUINI, Patricia. 90% Dos Eleitores de Bolsonaro Acreditam em Fake News.Folha de São Paulo, São Paulo, 2 de Novembro de 2018. Acesso em: 03/07/2022.
BRAGON, Ranier. Bolsonaro Acumula Casos Sob Suspeita de Corrupção. Folha de São Paulo, São Paulo, 22 de Junho de 2022. Acesso em: 03/07/2022.
*

Se curtiu o filme, acesse: Borat,

(ou use algum dos links anteriores)

Quer deixar um comentário, mandar dicas ou sugestões? ENTRE EM CONTATO
Curtiu e quer ver a gente melhorar? ENTÃO ACESSE: BIT.LY/CINESCRITO-APOIE
Licença Creative Commons

Mande seu comentário, dica ou sugestão!👇

Nome

E-mail *

Mensagem *




_____________________________________

Assine para assistir a filmes e series premiados: